Posted on

Conheça as diretrizes práticas da ISUOG para restrição de crescimento fetal

Ultrasound Obstet Gynecol 2020; 56: 298–312
Médico consultando estudo científico

Crescimento fetal é um aspecto importante a ser acompanhado durante a gestação. Ele depende de diversos fatores entre eles,  insuficiência útero-placentária, doenças maternas, infecções congênitas, síndromes genéticas, tabagismo, uso de drogas ilícitas, entre outros.

O atraso no crescimento fetal está associado a um risco aumentado de mortalidade e morbidade perinatal e resultados adversos a longo prazo. Em geral, os fetos com restrição de crescimento têm uma taxa mais elevada de prematuridade, evoluiem com pior resultado do neurodesenvolvimento e apresentam risco aumentado de doenças não transmissíveis na idade adulta, como hipertensão, síndrome metabólica, resistência à insulina, diabetes tipo 2, coronária doença cardíaca e AVC (acidente vascular cerebral).

Este guideline fornece definições sobre crescimento fetal, especialmente restrição de crescimento e descreve os critérios de diagnóstico, acompanhamento e interrupção.

Para baixar, clique no link abaixo:

Quer saber mais sobre o tema. Confira a programação da nossa Pós-Graduação em Medicina Fetal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *