Posted on

Vacinação contra covid-19 em mulheres grávidas e lactantes: entenda posicionamento da FIGO

Dra. Juliana Abdalla preparou um resumo dos principais pontos do documento

Médico consultando estudo científico

Embora o risco absoluto das formas graves de Covid-19 na gravidez permaneça baixo, está estabelecido que mulheres grávidas têm maior risco de doenças graves associadas a covid-19, em comparação com mulheres não grávidas. A maioria dos países já dispõe de vacinas, que já tem sido ofertada a grupos prioritários.

Posição da FIGO

Ensaios clínicos das vacinas Covid-19 especificamente em mulheres grávidas ainda não foram concluídos. Dados sobre eficácia e segurança durante a gravidez são limitados. Portanto, não há evidências suficientes para recomendar o uso rotineiro de vacinas covid-19 em mulheres grávidas ou amamentando.

Dados limitados de estudos em animais e dados tranquilizadores adicionais divulgados nos EUA na primeira semana de fevereiro, de que 20.000 mulheres grávidas haviam sido vacinadas sem evidência de sinais alarmantes relatados, mostram um cenário otimista em relação a vacinação em gestantes. A FIGO, portanto, considera que não há riscos – reais ou teóricos – que superem os potenciais benefícios da vacinação em mulheres grávidas.

O que considerar ao aconselhar a gestante em relação a vacinação:
  • Nível de atividade do vírus na comunidade local
  • Eficácia potencial da vacina
  • Falta de dados de segurança específicos para seu uso na gravidez
  • Risco e potencial da gravidade de doença materna, incluindo os possíveis efeitos da doença no feto (nascimento prematuro) e recém-nascido
  • Falta de definição sobre o momento adequado da vacinação durante a gravidez.

As mulheres devem ser particularmente tranquilizadas de que as vacinas contra a covid-19 existentes não são de vírus vivos e de que imunizantes feitos com mRNA não causam quaisquer alterações genéticas, uma vez que não alteram o DNA humano

Administração de vacina em mulheres grávidas – Pontos Importantes!
  • Não há preferência para o uso de uma determinada vacina;
  • Gestantes devem ser aconselhadas a completar a aplicação das duas doses com o mesmo produto de vacina;
  • É aconselhável que a vacina contra covid-19 seja administrada com um intervalo mínimo de 14 dias antes ou após a administração de qualquer outra vacina (esquema rotineiro oferecido na gestação);
  • A vacinação contra a influenza é segura durante a gravidez e recomendada, especialmente durante a pandemia de covid-19;
  • Mulheres que planejam engravidar podem tomar a vacina covid-19 se assim decidirem. O teste de rotina para gravidez antes da vacinação com covid-19 não é recomendado. Mulheres que estão tentando engravidar não precisam adiar a gravidez após receber a vacina covid-19.
Administração de vacinas para mulheres que amamentam

Acredita-se que as vacinas contra covid-19 representam risco mínimo ou ausente para o recém-nascido. Questiona-se se há benefício neonatal direto. Durante a amamentação, a vacina covid-19 pode ser oferecida, de acordo com a classificação do grupo prioritário.

Quer saber mais? Leia o documento na íntegra aqui:

3 Replies to “Posição da FIGO sobre vacinação contra covid-19”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *