Posted on

Síndrome de Transfusão Feto-Fetal: Rastreamento e Diagnóstico

A síndrome da transfusão feto-fetal afeta 10 a 15% das gestações gemelares monocoriônicas diamnióticas. Decorre de um desequilíbrio na troca sanguínea entre os gêmeos (doador x receptor) através de anastomoses placentárias arteriovenosas.

Mostra, apresentação clínica variável devendo ser classificada em estágios de acordo com a gravidade. O rastreamento precoce, ainda no 1º trimestre de gestação, e o acompanhamento ultrassonográfico adequado permitindo reduzir a mortalidade da doença.

No dia 29/06/2020, estaremos mais uma vez juntos no One Hour Obstetrícia, discutindo sobre a Transfusão Feto-Fetal.

Saiba como rastrear, acompanhar e diagnosticar essa doença melhorando assim a assistência pré-natal.

Ficou curioso?? Aguardamos você para mais um encontro repleto de discussão com os maiores especialistas sobre o assunto.



Dr. Fábio Peralta

» Mestre e Doutor em Medicina pela USP
» Pós-Doutorado em Medicina Fetal – Kings College Hospital – London
» Responsável pelo Setor de Medicina Fetal do CETRUS

Dra. Juliana Abdalla

Pós-graduação em Medicina Fetal na Cetrus, São Paulo
» Fellow em Medicina Fetal com o Prof Philippe Jeanty, Nashville, EUA
» Certificado de Atuação em Medicina Fetal – FEBRASGO
» Mestrado em Saúde da Mulher pela Universidade Federal de Minas Gerais

Dr. Daniele Luminoso

» Formado em Medicina pela Universitá degli Studi di Cagliari – Itália
» Fellow em Medicina Fetal no King’s College Hospital e no Queen Elizabeth Hospital – NHS – London- UK
» Médico contratado a serviço de USG e Medicina Fetal CAISU UNICAMP.

Dr. Orlando Gomes

» Graduado em medicina pela Universidade Federal de Sergipe (2002)
» Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pelo IMIP
» Especialista em Medicina Fetal pelo IMIP
» Pós-graduando em Medicina Fetal pela UNICAMP

Dra. Vanessa Mollaco

» Membro titular do Colégio Brasileiro de Radiologia
» Credenciada pelo Fetal Medicine Foundation – Londres
» Coordenadora e palestrante dos cursos de Ginecologia e Obstetrícia no Cetrus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *