Posted on

Estudo investiga alteração no nascimento de gêmeos em todo mundo

Entre os 112 países investigados, 74 apresentaram mais de 10% de aumento nas gravidezes gemelares

Human Reproduction, 2021

Médico consultando estudo científico

Gêmeos têm mais complicações ao nascimento, nascem mais frequentemente prematuros, com baixo peso ao nascer e apresentam taxas de mortalidade infantil mais altas. Além disso, o risco de complicações maternas, como diabetes gestacional, pré-eclâmpsia, depressão pós-parto e mortalidade materna, aumenta substancialmente em gestações gemelares.

Hoje, como as mulheres têm engravidado mais tarde e também recorrido mais aos tratamentos de reprodução assistida, as taxas de nascimento de gêmeos têm mudado. Por isso, o estudo dessa semana è uma investigação como isso impactou numericamente os nascimentos de gêmeos. Confira o resumo a seguir:

Resumo

Pergunta do estudo: Quantos gêmeos nascem em populações humanas e como isso mudou nas últimas décadas?

Resposta: Desde a década de 1980, a taxa global de gemelaridade aumentou em um 30%, de 9,1 para 12 partos de gêmeos a cada mil 1.000 partos, sendo cerca de 1,6 milhões nascimentos de gêmeos a cada ano.

O que já se sabe: Na década de 1980, as taxas de gemelaridade espontânea eram baixas na Ásia (Leste) e na América do Sul, em nível moderado na Europa e na América do Norte e altas taxas em muitos países africanos. Nas últimas décadas, as taxas de gemelaridade têm aumentado nas regiões mais ricas do nosso mundo como resultado dos tratamentos de reprodução assistida e do atraso na idade materna de concepção.

Metodologia: Foram coletadas todas as informações sobre as taxas de gemelaridade disponíveis em registros de estatística, institutos de pesquisa demográfica, dados de pesquisas individuais e literatura médica para os períodos 1980-1985 e 2010-2015.

Em 165 países, incluindo mais de 99% da população global, foram coletadas ou estimadas as taxas de gemelaridade para o período de 2010-2015. Em 112 países, também foram obtidas as  taxas de gemelaridade no período entre 1980–1985.

Principais resultados: Aumentos substanciais nas taxas de gemelaridade foram observados em muitos países da Europa, América do Norte e Ásia. Em 74 de 112 países, o aumento foi acima 10%. A África ainda é o continente com as maiores taxas, mas a Europa, a América do Norte e a Oceania estão com aumento progressivo das taxas. A Ásia e a África são atualmente o lar de 80% de todos os partos de gêmeos no mundo.

Limitações do Estudo: Para alguns países, os dados foram derivados de relatórios e documentos baseados em registros de hospitais que são menos representativos para o país como um todo do que os dados baseados em administrações públicas e pesquisas nacionais.

Implicações Relevantes: O número absoluto e relativo de gêmeos para o mundo como um todo está atingindo um nível sem precedentes. Uma razão importante para isso é o aumento das técnicas de reprodução assistida nas últimas décadas. Isso é altamente relevante, uma vez que partos de gemelares estão associados a maiores taxas de mortalidade infantil e maiores complicações para mãe e filho durante a gravidez, durante e após o parto.

Palavras-chave: gravidez múltipla / mundo / reprodução assistida / mudanças ao longo do tempo / geminação

Acesso o artigo na íntegra aqui:

One Reply to “Twin Peaks: mais gêmeos em humanos do que nunca”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *