Posted on

Tratamento de retrações cicatriciais: o que preciso saber para prática médica?

As retrações cicatriciais são uma complicação comum que pode ocorrer após lesões cutâneas, cirurgias ou queimaduras. Elas são caracterizadas pela contração excessiva do tecido cicatricial, resultando em deformidades estéticas e funcionais significativas. 

O tratamento adequado dessas retrações é essencial para melhorar a qualidade de vida dos pacientes e restaurar a função normal da pele. 

Neste texto, discutiremos os principais aspectos do tratamento de retrações cicatriciais, incluindo suas causas, avaliação clínica, opções terapêuticas e abordagens cirúrgicas.

Etiologia das retrações cicatriciais

As retrações cicatriciais podem se desenvolver como resultado de uma variedade de fatores, incluindo:

  • Cicatrização desorganizada: Processos de cicatrização desorganizados podem levar à formação de tecido cicatricial excessivo e contração desigual, resultando em retrações.
  • Queimaduras: Queimaduras graves podem causar retrações cicatriciais devido à destruição extensa dos tecidos e à formação de cicatrizes densas.
  • Trauma cutâneo: Ferimentos traumáticos, como lacerações profundas ou incisões cirúrgicas mal fechadas, podem resultar em retrações cicatriciais durante o processo de cicatrização.
  • Fatores genéticos: Algumas pessoas têm uma predisposição genética para desenvolver cicatrizes hipertróficas ou queloides, que podem levar à formação de retrações cicatriciais.
Leia também: Tratamento de cicatriz hipertrófica e retrações cicatriciais 

Avaliação clínica das retrações cicatriciais para indicar o tratamento

A avaliação clínica cuidadosa é fundamental para determinar a extensão e a gravidade das retrações cicatriciais e para planejar o tratamento adequado. Durante a avaliação, é importante considerar a localização das retrações que podem ocorrer em qualquer parte do corpo, incluindo a face, pescoço, tronco, membros e articulações. 

A avaliação do tipo de tecido cicatricial (por exemplo, hipertrófico, queloideano), a extensão e a profundidade da retração são importantes também para determinar a abordagem terapêutica mais adequada.

Em alguns casos, as retrações cicatriciais podem comprometer a função normal da pele, como limitação do movimento articular ou obstrução de estruturas anatômicas adjacentes. Essas considerações devem ser levadas em conta ao planejar a terapêutica desses pacientes. 

Opções terapêuticas

Como abordamos acima, a escolha do tratamento das retrações cicatriciais vai envolver uma série de fatores, devendo-se individualizar caso a caso. 

Hoje, na prática médica, existem uma variedade grande de abordagens terapêuticas possíveis que vão desde tratamento conservador, até procedimentos cirúrgicos de grande escala. Abaixo abordaremos mais sobre cada uma das opções. 

Tratamento conservador para as retrações cicatriciais 

Os tratamentos conservadores para retrações cicatriciais visam melhorar a aparência e a função da pele sem recorrer a intervenções cirúrgicas invasivas. Geralmente são indicados ou em associação a outras técnicas ou quando não há necessidade de intervenção cirúrgica imediata.

Terapia com pressão negativa (TPN)

A Terapia com Pressão Negativa (TPN), também conhecida como terapia de vácuo ou terapia de pressão subatmosférica, é uma abordagem terapêutica não invasiva amplamente utilizada no tratamento de feridas complexas, incluindo feridas crônicas e cicatrizes. A TPN envolve a aplicação de uma pressão negativa constante ou intermitente na superfície da ferida, através de um curativo especial conectado a um sistema de sucção. Esse sistema cria um ambiente controlado que promove a cicatrização e o fechamento eficaz da ferida.

Ação da TPM na ferida
  • A pressão negativa ajuda a remover o excesso de fluido intersticial da ferida, reduzindo o inchaço e a congestão.
  • Promove o crescimento de novo tecido de granulação na ferida, acelerando o processo de cicatrização
  • Ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo para a área afetada, fornecendo oxigênio e nutrientes essenciais para as células em crescimento.
  • O ambiente de pressão negativa cria uma barreira mecânica que impede a entrada de microrganismos na ferida, reduzindo o risco de infecção.
  • Além disso, a TPN pode ajudar a reduzir a tensão nas bordas da ferida, facilitando o fechamento primário ou secundário da mesma.
Procedimento

Inicia-se este procedimento utilizado como uma das opções para o tratamento de retrações cicatriciais com a limpeza da ferida, removendo tecidos necróticos ou infectados. Logo em seguida, aplica-se com a esponja de poliuretano poroso um curativo especial o sobre a ferida e coberto com um filme transparente para criar um selo hermético.

O sistema de sucção então aplica a pressão negativa desejada na ferida através da conexão com o curativo. O curativo é mantido no local por um período de tempo determinado, geralmente de alguns dias a várias semanas, dependendo da resposta do paciente e da gravidade da ferida. Durante esse período, os profissionais de saúde monitoram regularmente a integridade e eficácia do curativo e o trocam conforme necessário.

Contraindicações 

Embora a TPN seja geralmente segura e bem tolerada, existem algumas contraindicações e considerações a serem levadas em conta, incluindo:

  • Feridas com hemorragia ativa.
  • Feridas com presença de tecido neoplásico.
  • Feridas com exposição de vasos sanguíneos importantes ou estruturas anatômicas.
  • Pacientes com condições médicas que podem ser exacerbadas pela pressão negativa, como distúrbios de coagulação ou hipotensão arterial.
  • A necessidade de um profissional de saúde treinado para realizar a aplicação e monitoramento adequados da TPN.

Massagem e alongamento

A massagem regular da área cicatricial pode ajudar a quebrar as aderências e melhorar a flexibilidade da pele. O alongamento suave da pele afetada também pode ajudar a reduzir a tensão e a retração cicatricial. 

Aplicação de cremes e géis tópicos

Certos cremes e géis contendo ingredientes como silicone, vitamina E, óleo de rosa mosqueta ou extrato de cebola podem ajudar a suavizar a cicatriz, reduzir a vermelhidão e melhorar a elasticidade da pele.

Fitas adesivas e compressão

O uso de fitas adesivas ou bandagens compressivas sobre a cicatriz pode ajudar a minimizar a tensão na área, reduzindo assim a probabilidade de formação de retrações cicatriciais.

Procedimentos minimamente invasivos

Entre os procedimentos minimamente invasivos no tratamento das retrações cicatriciais temos:

Terapias a laser

A terapia a laser é uma abordagem eficaz no tratamento de cicatrizes, especialmente cicatrizes hipertróficas, queloides e cicatrizes de acne. Esta técnica utiliza energia luminosa concentrada para remodelar a pele, promover a regeneração celular e melhorar a aparência da cicatriz.

O laser emite uma luz de alta energia que é absorvida pelos cromóforos na pele, como a melanina e a hemoglobina. Isso gera calor na área da cicatriz, estimulando a produção de colágeno, uma proteína essencial para a saúde e a elasticidade da pele.

Assim, a produção aumentada de colágeno leva à remodelação do tecido cicatricial, tornando-o mais uniforme e menos visível. Isso pode ajudar a suavizar a textura da cicatriz e reduzir sua aparência.

Além disso, o laser também pode ajudar a reduzir a inflamação na área da cicatriz e a pigmentação irregular, como a hiperpigmentação pós-inflamatória comum em cicatrizes de acne.

Tipos de laser
  • Laser de CO2 Fracionado: Este tipo de laser emite luz em comprimentos de onda específicos que são absorvidos pelas moléculas de água na pele, gerando calor controlado. O laser de CO2 fracionado cria microcolunas de dano térmico na pele, estimulando a regeneração celular e a produção de colágeno.
  • Laser Não Ablativo: Diferente do laser de CO2 fracionado, o laser não ablativo não causa dano visível à superfície da pele. Em vez disso, penetra mais profundamente na derme para estimular a produção de colágeno, sem o tempo de recuperação associado à ablação da pele.

Injeções de corticoesteroides

Em casos de retrações cicatriciais mais pronunciadas ou dolorosas, os médicos podem administrar injeções de corticosteroides diretamente na cicatriz para reduzir a inflamação e a fibrose, ajudando a relaxar a pele e melhorar a flexibilidade.

Os corticosteroides têm propriedades anti-inflamatórias potentes que ajudam a diminuir a resposta inflamatória na área da cicatriz, reduzindo assim o inchaço e a vermelhidão associados. Eles podem também ajudar a modular a formação de tecido fibroso na cicatriz, reduzindo a quantidade de colágeno depositado e evitando o aumento excessivo da cicatriz.

Administração

Administra-se as injeções de corticosteroides diretamente na área da cicatriz, geralmente utilizando uma agulha fina para injetar o medicamento no tecido cicatricial. A concentração e a quantidade de corticosteroide administradas variam dependendo da gravidade da cicatriz e da resposta individual do paciente ao tratamento.

Microagulhamento

O microagulhamento, também conhecido como terapia de indução de colágeno, envolve o uso de microagulhas para estimular a produção de colágeno na pele, reduzindo assim a aparência das retrações cicatriciais.

Cirurgia reconstrutiva no tratamento das retrações cicatriciais 

As opções das cirurgias reconstrutivas no tratamento das retrações cicatriciais são as apresentada abaixo:

Zetaplastia (Z-plastia)

Zetaplastia, também conhecida como Z-plastia, é uma técnica cirúrgica amplamente utilizada no tratamento de retrações cicatriciais, especialmente aquelas resultantes de queimaduras. Realiza-se essa técnica para melhorar a aparência e a função da cicatriz, promovendo o relaxamento da pele e a redistribuição da tensão, o que pode reduzir a deformidade e melhorar a mobilidade da área afetada.

Mecanismo de ação

A Z-plastia envolve a criação de incisões em forma de Z na cicatriz existente. Posiciona-se as incisões de forma estratégica para interromper as linhas de tensão natural da pele, promovendo assim o relaxamento e a redistribuição da tensão na área afetada.

Ao realinhar as bordas da cicatriz em um padrão de zig-zag, a Z-plastia pode alterar a orientação da cicatriz, tornando-a menos proeminente e mais discreta.

Além disso, ao promover o relaxamento da pele ao redor da cicatriz, a Z-plastia pode melhorar a mobilidade e a flexibilidade da área afetada, permitindo um maior movimento e conforto.

Enxerto de pele

Em casos de retrações cicatriciais extensas, pode ser necessária a excisão da cicatriz seguida pelo enxerto de pele para restaurar a integridade da pele.

A primeira etapa do procedimento envolve a remoção cirúrgica da cicatriz existente, incluindo o tecido cicatricial e fibrótico que está causando a retração da pele.

Após a excisão da cicatriz, o cirurgião plástico obtém um enxerto de pele saudável de outra área do corpo do paciente, como a coxa ou a região do quadril. O enxerto pode ser colhido como uma fina camada de pele (enxerto de espessura parcial) ou uma camada completa de pele com seu tecido subcutâneo subjacente (enxerto de espessura total).

Ele é então cuidadosamente fixado na área cirúrgica usando suturas, adesivos cirúrgicos ou outras técnicas de fixação. O enxerto é moldado e posicionado de forma a cobrir completamente a área onde a cicatriz foi removida.

pós a fixação, o enxerto de pele começa a cicatrizar e a integrar-se à área receptora, desenvolvendo novos vasos sanguíneos e crescendo para se tornar parte da pele circundante.

Abordagens cirúrgicas

Quando as retrações cicatriciais são extensas ou causam comprometimento funcional significativo, a intervenção cirúrgica pode ser necessária. As principais abordagens cirúrgicas para o tratamento de retrações cicatriciais incluem:

  • Liberação da retração: A liberação cirúrgica da retração envolve a excisão do tecido cicatricial contraído para restaurar a mobilidade e a função da pele.
  • Reconstrução cutânea: Em casos de defeitos cutâneos extensos, pode ser necessária a reconstrução cutânea com enxertos de pele, retalhos locais ou técnicas de transferência de tecido.
  • Revisão da cicatriz: realizada para melhorar a estética da cicatriz existente, corrigindo assimetrias, irregularidades ou deformidades.
  • Técnicas avançadas: pode-se empregar, em casos selecionados, técnicas avançadas, como a transferência de tecido adiposo autólogo (lipofilling) ou o uso de matriz dérmica acelular, para otimizar os resultados estéticos e funcionais.

Retalhos microcirúrgicos de membro superior em Cadáver Fresh Frozen

Quer conhecer e aprofundar seus conhecimentos em mais uma técnica de tratamentos de feridas? Conheça o curso co Cetrus agora mesmo e aprend mais sobre:

  • Retalho lateral do braço
  • Retalho Chinês e perfurante radial
  • Terapias alternativas no processo de tratamento das lesões cutâneas
  • Retalho dorso ulnar
  • Retalho interósseo posterior

Referências 

  1. Cartotto R, Cicuto BJ, Kiwanuka HN, Bueno EM, Pomahac B. Deformidades pós-queimaduras comuns e seu manejo. Surg Clin Norte Am. 2014;94(4):817-37. PMID: 25085090 DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.suc.2014.05.006 
  2. GOUGLITZ, G.G. Hypertrophic scarring and keloids following burn injuries. Uptodate, 2024.
  3. MOIEMEN, N.; WILON, Y. Overview of lasers in burns and burn reconstruction. Uptodate, 2024.
  4. MORAES, M.A.R.; RAMOS, R.R.; FERREIRA, L.M.Zetaplastia na retração axilar: técnica e tática para facilitar o aprendizado dos residentes. Artigo Original • Rev. Bras. Cir. Plást. 32 (2) • 2017