Posted on

Saiba como é feito o diagnóstico da epididimite por ultrassom

Entendas as principais características do quadro

Epididimite é a inflamação do epidídimo, quadro que geralmente não vem isolado, sendo acompanhado por orquite. São as causas mais comuns de dor aguda em jovens adultos.

O trajeto da infecção se faz de forma ascendente, via uretra. A causa mais comum é bacteriana, podendo também ser por agentes sexualmente transmissíveis, como sífilis, viroses, idiopáticas, sarcoidose e outras, inclusive medicamentosa (amiodarona).

Diagnóstico da epididimite

Ao ultrassom testicular é possível verificar:

  • Em fases mais agudas ocorre aumento de volume e hipoecogenicidade do epidídimo. Mais tardiamente, ficará mais hiperecogênico;
  • Mais comumente, o acometimento é focal e atinge a cabeça ou a cauda;
  • Pode haver formação de abscessos com gás no seu interior;
  • Ao estudo Doppler, pode apresentar hipervascularização.

Quer saber mais sobre este tema? Conheça o curso de Ultrassonografia em Hérnias e Bolsa Testicular do Cetrus

Referência bibliográfica
  • RUMACK, Carol M. Tratado de Ultrassonografia Diagnóstica. 5a edição. Volume 1. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 2021

2 Replies to “Epididimite: como diagnosticar ao US”

  1. Sinceramente fiquei em dúvida pois a imagem epididimaria está igual bilateralmente, mostrando sinais de ectasia do ducto epididimario, que pode ser decorrente de vasectomia prévia ou processos inflamatórios. No entanto, o doppler não apresenta nas imagens uma hipervascularizacao típica do parenquima para fechar um diagnóstico de epididimite.

    1. cONCORDO COM O COLEGA Rogério Galhardi. A imagem epididimaria igual bilateralmente, embora com uma cera ectasia e hipoecogenicidade indicava essa possibilidade, mas como, o doppler não apresenta nas imagens uma hipervascularizacao tficava ruim para fechar um diagnóstico de epididimite.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *