Posted on

Problema comum ao envelhecimento, osteoartrite causa dores e espasmos

Saiba mais sobre o problema, seu diagnóstico e opções de manejo

Osteoartrose da coluna

A osteoartrite ocorre quando a cartilagem que protege as extremidades dos ossos se desgasta com o tempo. Uma das formas mais comuns é a da coluna. Nesses casos, o disco entre as vértebras é comprometido, além de alterações ósseas vizinhas que comprimem os nervos.

Quando o acometimento acontece na região lombar ou nas vértebras cervicais, pode levar a diversos sintomas, além da característica dor ao se movimentar.

A doença está relacionada à idade: com o envelhecimento, a integridade da coluna se deteriora, o que leva a degenerações do disco intervertebral e à articulação facetaria, o que leva ao aumento da carga da articulação de 33% para 70%. Com isso, osteófitos começam a se formar, causando uma cascata de alterações: hipertrofia sinovial, necrose da cartilagem, ulceração, fibrilação, eburnação, instabilidade e crescimento ósseo excessivo1.

Outros fatores contribuem para a progressão da doença, como o declínio das propriedades viscoelásticas do líquido sinovial, principalmente atribuível ao ácido hialurônico, que age como um lubrificante e amortecedor para a coluna vertebral. 

Epidemiologia

Essa doença está muito relacionada à idade: estudos estimam que entre pacientes com mais de 60 anos, 95% dos homens e 70% das mulheres apresentem alterações sugestivas de artrite. Especificamente em relação a  osteoartrite da coluna cervical, sabe-se que ocorre em mais de 80% dos indivíduos com mais de 55 anos.

  • Os pacientes de origem oriental são menos acometidos em relação aos caucasianos;
  • Homens tendem a ter mais alterações osteoartríticas na coluna vertebral do que as mulheres.
Sinais da osteoartrite da coluna

Os seguintes sintomas são frequentes:

  • Dor – perceptível principalmente durante movimentos das costas;
  • Rigidez;
  • Espasmos;
  • Dormência;
  • Fraqueza nos membros superiores ou inferiores

Além desses sintomas, sintomas relacionados à compressão de nervos por alterações ósseas podem ocorrer. Quando acomete a parte inferior da coluna, é possível que o paciente sinta dores nas pernas após caminhar, por exemplo, levando ao quadro que pode ser confundido com uma claudicação intermitente.

Como diagnosticar a osteoartrite de coluna?

Os exames de imagem são muito importantes para este diagnóstico. Por mais que a radiologia simples já possa ajudar no diagnóstico, a ressonância magnética é uma ferramenta de auxílio importante, tornando possível examinar a anatomia da coluna lombar de forma não invasiva, com excelente resolução espacial e de contraste em um curto espaço de tempo2.

Sendo assim, é possível distinguir com precisão as causas mecânicas da compressão da raiz do nervo que podem resultar em sintomas radiculares e diferencia-las dos achados normais. Com isso, há um melhor entendimento da frequência e do espectro de achados que podem estar presentes como parte do processo normal de envelhecimento sem causar sintomas clínicos.

A ressonância magnética da coluna lombar tornou-se a técnica de imagem de primeira linha em pacientes com dor lombar ou radicular. Recuperação de inversão de Shorttau (STIR) ou imagens ponderadas em T2 com supressão de gordura foram adicionadas por muitos grupos porque são mais sensíveis às alterações da medula óssea e dos tecidos moles.

Tratamento da osteoartrite da coluna

Não é possível reverter os danos causados pela osteoartrite da coluna, no entanto o tratamento medicamentoso (como anti-inflamatórios não-esteroides e analgésicos) ou com fisioterapia podem contribuir para manejo da dor do paciente.

Especificamente, os exercícios físicos são o benefício mais significativo no aumento da densidade mineral óssea da coluna lombar. Mas os exercícios na àgua também são interessantes, mostrando em alguns estudos serem mais eficazes quando comparados a grupos sedentários na prevenção da deterioração óssea relacionada à idade. 

Quer saber mais sobre o diagnóstico desse tipo de patologia? Conheça a programação do curso de Ressonância Magnética da Coluna do Cetrus.

Referências

  1. Lindsey, T. Dydyk, A. Spinal Osteoarthritis. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2021 Jan-
  2. Feydy, A et al. Role of imaging in spine, hand, and wrist osteoarthritis. Rheum Dis Clin North Am. 2009 Aug;35(3):605-49.

14 Replies to “Osteoartrite da coluna: o que é e como diagnosticar”

  1. Olá!
    Sinto muita dores no ombro, quadrios,
    ,articulares dos braço, dedos, pescoço;
    das pernas, pés tenho osteortitenos ombros ,colunas torácica e articulações sacro-ilíacas.
    Desconhecia sobre direito de isenção de IRPF.

    1. Eu sinto dores insuportável em todas minhas articulações no frio e pior tenho processo degenerativo de ostiarticular

  2. Olá!
    Sinto muita dores no ombro, quadrios,
    ,articulares dos braço, dedos, pescoço;
    das pernas, pés tenho osteortitenos ombros ,colunas torácica e articulações sacro-ilíacas.
    Será que tenho direito de isenção de IRPF.

  3. Bom dia, essa matéria foi muito útil pra mim, pois há mais de dois anos sofro com dores diárias no corpo todo e os ortopedista que vou não me explicava direito, só fala que esse problema não tem cura. Eu nunca fui encaminhada pra fazer uma ressonância para ver como está a situação da minha coluna, já não aguento andar. Mas gostaria de saber se com essa doença eu posso tomar a vacina da covid? Se não tem nenhuma complicação?

  4. Eu gostaria de saber , no meu caso que sofri um acidente de moto e devido a pancada que sofri no pé me causou esse trauma de osteoartrite regenerativa, e se eu posso volta as minhas atividades como trabalhar , jogar futebol fazer caminhada , etc.

  5. olá boa noite estava lendo tudo relatório mais acima gostaria de saber se vocês se logo no começo quando começamos a sentir os premeiro sintoma que são as dores nas costas nos braços e nas panturrilhas ao andar muito se os primeiros Passos do tratamento a pessoa ficará bem , estarei aguardando.

  6. Excelente matéria. Precisava de alguns esclarecimentos dessa enfermidade para efeitos de isenção de IRPF e para acompanhar o tratamento médico.
    Grata,
    atenciosamente.

  7. Parabéns pelas reflexões… e descobertas científicas!!! Nesses tempos de pandemia e com o advento do trabalho remoto… esses quadros tem nos afetado muito!!!

    1. Olá!
      Sinto muita dores no ombro, quadrios,
      ,articulares dos braço, dedos, pescoço;
      das pernas, pés tenho osteortitenos ombros ,colunas torácica e articulações sacro-ilíacas.
      Será que tenho direito de isenção de IRPF.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *