Posted on

Entrevista sobre especialização e ultrassonografia de Point-of-Care

O Dr. Adriano Czapkowski explica como profissional que adquire habilitação em ultrassonografia point-of-care destaca-se no mercado de trabalho.

Quando um paciente tem um infarto, existe a famosa frase de que “tempo é músculo”, em uma referência à clássica “tempo é dinheiro”. De fato, não só em emergências do coração, mas em qualquer situação dessas, cada minuto é valioso para o desfecho positivo de qualquer paciente.

Qual ferramenta pode ajudar a capacitar ainda mais os médicos que atuam nas áreas que exigem diagnósticos imediatos? O conhecimento em diagnóstico de imagem, principalmente a ultrassonografia, está hoje ao alcance de todos os profissionais e sem dúvida reduz muito o tempo de diagnóstico de muitas patologias na sala de emergência, no centro de terapia intensiva e também no transporte do paciente ao hospital.

É o que nos explicou o Dr. Adriano Czapkowski, coordenador da Pós-Graduação em Ultrassonografia em Emergência e UTI – Point-of-Care do Cetrus.

Czapkowski trouxe o curso justamente enxergando um “gap” na formação de muitos profissionais. “O conhecimento de ultrassom na emergência e na terapia intensiva deveria ser obrigatório para todos os médicos que trabalham com pacientes críticos”, considera o professor.

Conversamos com ele para entender melhor as vantagens desse conhecimento e o que você pode encontrar em nosso curso. Confira:

Quais são os ganhos que o médico tem ao incorporar o ultrassom  Point-of-care na sua prática diária?

Dr.Adriano Czapkowski: A ultrassonografia  é uma especialidade médica e, infelizmente, pouco transmitida na formação básica na medicina, como também na maioria das residências de outras especialidades. Em situações de emergência, todo médico deveria saber pelo menos o básico de ultrassom, pois é sabido o quanto ele auxilia o diagnóstico de diversas patologias gerando maior precisão. Os colegas médicos mais beneficiados são, sem dúvida, aqueles que trabalham com pacientes graves como os intensivistas, emergencista, cirurgiões, entre outros. Portanto, o  conhecimento em diagnóstico por imagem traz para esse profissional mais segurança e auxílio para destacar-se em todos serviços médicos de forma expressiva.

De que forma esse profissional acaba se destacando?

AC: Na emergência cada minuto conta, e se você tiver um aparelho disponível e o conhecimento adequado, todos saem ganhando: o paciente, o médico o até o próprio serviço hospitalar. O investimento em conhecimento sempre é a melhor opção para o sucesso em tudo. Se pensarmos em Point-of-care, a ultrassonografia é uma ferramenta incrível, principalmente pela sua facilidade de ser levada até o leito, até o pronto-atendimento ou até mesmo na rua no caso de acidentes graves.

Sempre foi difícil ter um profissional com formação completa na área de imagem e disponível 100% das vezes em todos os serviços hospitalares. Quando há, ele muitas vezes não está livre na hora de uma emergência. Então, a qualificação nessa área acaba também suprindo a falta de especialistas e gerando mais liberdade durante o atendimento. Para facilitar, hoje nós temos disponibilidade de muito mais aparelhos  portáteis e super portáteis do que antigamente, esse “boom” também veio por conta da pandemia da covid-19. Temos cada vem mais aparelhos leves, pequenos e que até mesmo que podem ser conectados ao celular. Esses aparelhos para Point-of-care estão disputando o pescoço do médico com o estetoscópio!

Hoje, como um médico que trabalha com Point-of-Care pode conseguir uma formação desse tipo em ultrassonografia?

AC: Foi por isso que criamos a Pós-Graduação em Ultrassonografia em Emergência e UTI – Point-of-Care aqui no Cetrus, a primeira pós-graduação Lato sensu da América Latina dedicada a qualificação em ultrassom em pacientes críticos. O aluno passa por todos as principais áreas da medicina que a ultrassonografia pode ser utilizada e com os melhores professores da área, referência nacional além de mim, como a Dra Maria Christina Rizzi,  Dr. Fabio Boveri,  Dr. José Olímpio, Marcos Godoy,  Nilson Kitanishi, Dra. Wendy Navarro, Dra. Elizabeth Ayub, Dr. Marcos Lange, Dra Fernanda Branco, Dra. Inês Gomes, Dra. Cibele Andrade, Dr. Gleicon Oliveira, Dr. Paulo Gottardo, Dr. Fernando Miranda e Dra. Adriana Oliveira.

Quais os diferenciais que o nosso curso traz?

AC:  A pós-graduação é dividida em 9 módulos, sendo que 8 são presenciais. Esses módulos acontecem em um final de semana por mês e duram de 3 a 4 dias. O aluno conta com toda a infraestrutura do Cetrus, incluindo práticas em pacientes reais e treinamento de procedimentos invasivos em cadáveres do nosso Laboratório de Anatomia.

Outra vantagem do Cetrus é a parceria que temos com as principais empresas mundiais de tecnologia em exames de imagem. Quando algo é lançado no Brasil, o primeiro lugar em que isso é divulgado é aqui no Cetrus, o que gera uma grande vantagem para os nossos alunos, pois treinamos sempre com tecnologia de ponta e de melhor qualidade.

Além disso, nossa pós-graduação permite que desde o primeiro módulo, o aluno consiga aplicar o conhecimento adquirido no seu dia a dia.

A Pós-Graduação aborda apenas ultrassonografia?

AC: Apesar do curso ter foco principal em ultrassonografia, um dos módulos o aluno é preparado para interpretar as principais patologias através do Raio-X e Tomografia computadorizada com contraste e sem contraste. Dessa maneira, a formação do pós-graduando é ainda mais completa na área de imagem determinando maior  autonomia e rapidez na tomada de decisões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *