Posted on

Contusão pulmonar: saiba mais sobre o diagnóstico e tratamento

A contusão pulmonar é uma lesão grave que pode ocorrer após um trauma torácico, como acidentes de carro, quedas ou agressões físicas. Essa condição pode causar problemas respiratórios, dor no peito, hemorragias e outras complicações. 

O diagnóstico e tratamento precoce são fundamentais para minimizar o risco de complicações e garantir a recuperação do paciente. Neste texto, vamos abordar os principais aspectos relacionados a essa condição, incluindo as causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção. Aproveite a leitura!

O que é a contusão pulmonar?

A contusão pulmonar é uma lesão traumática que afeta o pulmão. Ela pode ser causada por acidentes automobilísticos, quedas, agressões físicas ou ferimentos causados por armas de fogo. Essa condição pode ser grave e colocar a vida em risco, especialmente em casos de contusão grave ou associada a outras lesões, como a lesão traumática.

A lesão pulmonar traumática, por exemplo, pode afetar a capacidade do pulmão em transportar oxigênio, o que pode levar à hipoxemia. Além disso, esse tipo de incidente pode causar o acúmulo de líquido nos pulmões, o que pode dificultar ainda mais a respiração.

Embora essa condição seja relativamente rara, sua incidência tem aumentado nos últimos anos, possivelmente devido ao aumento da violência urbana e dos acidentes de trânsito. Por isso, é importante que os profissionais de saúde estejam familiarizados com essa condição e saibam como identificar e tratar essa condição adequadamente.

Contusão Pulmonar CID 

A contusão pulmonar pode ser encontrada na Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID) nos seguintes códigos:

  • CID-9 – 861.21, 861.31;
  • CID-10 – S27.3;
  • CID-11 – 807907905.
contusão-pulmonar

Causas da contusão pulmonar 

Como vimos, a contusão pulmonar pode ser causada por trauma no tórax, tanto por trauma contuso como por trauma penetrante. 

O trauma contuso é mais comum em acidentes de carro, quando o peito atinge o interior do veículo, mas também pode ocorrer por causa de quedas, lesões esportivas e agressões físicas.

No caso do trauma penetrante, a condição pode ser causada por projéteis que criam uma cavidade temporária que danifica o tecido pulmonar ao redor do trajeto do projétil. As armas de fogo e facas são exemplos de objetos que podem causar a contusão penetrante.

Sintomas da contusão pulmonar 

A contusão pulmonar pode ser assintomática em casos leves, mas geralmente apresenta sinais e sintomas que incluem dificuldade de respirar, diminuição dos sons respiratórios, presença de crepitações anormais durante a respiração, produção de catarro e tosse. 

Além disso, a oxigenação sanguínea pode ficar comprometida, resultando em cianose (coloração azulada da pele e das mucosas) e baixos níveis de oxigênio no sangue. 

A condição também pode afetar a função cardíaca, causando hipotensão e redução do débito cardíaco. 

Os sintomas geralmente se desenvolvem ao longo do tempo e podem piorar lentamente por até vários dias, mas casos mais graves podem apresentar uma rápida deterioração e até mesmo levar à morte rapidamente se não tratados.

Leia também: Protocolo FAST Estendido (ou EFAST) usa ultrassom para investigar se há líquidos em 4 regiões

Como é o diagnóstico? 

Para diagnosticar contusão pulmonar, os profissionais de saúde devem utilizar pistas dos exames físicos, informações sobre o evento que causou a lesão, radiografias e achados laboratoriais – como a gasometria arterial – também podem ser usados.

A radiografia de tórax é o método mais comum usado para o diagnóstico, porém pode não ser sensível o suficiente para detectar a condição logo após a lesão. Por isso, a tomografia computadorizada é um teste mais sensível para diagnosticar a condição e é capaz de identificar lesões em outras áreas do corpo.

Como tratar uma contusão pulmonar?

A contusão pulmonar não tem um tratamento específico para acelerar a cicatrização, mas é importante fornecer cuidados de suporte para prevenir lesões adicionais e monitorar a função respiratória e a saturação de oxigênio do paciente. 

É essencial monitorar complicações como pneumonia e síndrome do desconforto respiratório agudo. O objetivo do tratamento é prevenir a falência respiratória e garantir a oxigenação adequada do sangue. 

Uma das formas de garantir que o corpo humano receba o oxigênio necessário é a ventilação mecânica. Nesses casos, é necessário um tipo de respiração assistida chamada ventilação positiva por pressão. Este tipo de ventilação é usado quando as pessoas apresentam sinais de respiração inadequada ou oxigenação insuficiente.

Leia também: avaliação ultrassonográfica pulmonar na intubação orotraqueal e na ventilação mecânica

Tipos de tratamento com ventilação mecânica

Existem dois tipos de ventilação positiva por pressão: a ventilação não invasiva e a ventilação invasiva

Ventilação não invasiva

A ventilação não invasiva é realizada usando máscaras faciais que sopram ar nos pulmões do paciente. Este tipo de ventilação tem vantagens sobre a ventilação invasiva, pois não há risco de infecção e permite a respiração, a deglutição e a fala normais. No entanto, ela também pode trazer complicações, como a aspiração de conteúdo gástrico.

Ventilação invasiva

A ventilação invasiva, por sua vez, é feita por meio da intubação do paciente, que é quando um tubo é colocado através da boca ou nariz e é conectado a um ventilador mecânico. A ventilação invasiva tem como objetivo reduzir o edema pulmonar e aumentar a oxigenação, mas pode danificar os pulmões ao inflá-los demais. 

Por fim, em todos os casos é muito importante também fazer a limpeza pulmonar, usando técnicas como sucção, tosse e respiração profunda para remover muco e sangue das vias aéreas. 

Terapia física e outros tratamentos

A terapia física do peito usa técnicas como exercícios respiratórios, tosse, sucção, percussão, movimento, vibração e drenagem para eliminar as secreções dos pulmões, aumentar a oxigenação e expandir partes colapsadas desse órgão. 

Pessoas com que não respondem bem a outros tratamentos, podem ser posicionadas com o pulmão não lesionado abaixo do lesionado para melhorar a oxigenação. 

O controle da dor também ajuda a eliminar as secreções. Lesões na parede do peito podem tornar a tosse dolorosa, aumentando a probabilidade de acúmulo de secreções nas vias aéreas. 

Analgésicos podem ser administrados para reduzir a dor e a injeção de anestésicos nos nervos na parede do peito, uma técnica denominada de bloqueio nervoso, é outra abordagem que pode ajudar no controle da dor.

Como prevenir? 

Algumas medidas podem ser tomadas para prevenir a contusão pulmonar, como o uso de equipamentos de proteção individual adequados, como cintos de segurança em veículos e equipamentos de proteção em ambientes de trabalho de alto risco. Além disso, é importante que as empresas adotem um programa de prevenção de quedas e acidentes.

No trânsito, a direção defensiva é uma importante forma de prevenção de acidentes de trânsito que podem levar a contusões pulmonares. Ao dirigir defensivamente, o motorista adota uma postura preventiva e responsável no trânsito, antecipando possíveis situações de risco e evitando comportamentos imprudentes. 

Veja a seguir os cinco pilares da direção defensiva e repasse esse conteúdo para seus pacientes:

  • Conhecimento: o motorista deve conhecer as vias, os limites de velocidade, as condições do asfalto, as leis de trânsito e os horários de maior movimento no trânsito, pois isso garante uma viagem mais tranquila;
  • Atenção: o condutor deve estar sempre alerta a possíveis imprevistos que podem ocorrer nas vias manter o foco no trânsito, sem se distrair com conversas, som alto, uso de rádio amador ou aparelho de telefone celular;
  • Previsão: o condutor deve ser capaz de prever os possíveis problemas eventuais do dia a dia, como pneus furados, buraco ou situações arriscadas, como óleo na pista, pedestres fazendo travessias em locais inadequados, acidentes, entre outros;
  • Decisão: o condutor deve ser capaz de se decidir e agir rapidamente em situações de perigo para evitar acidentes ou diminuir as chances de que um aconteça;
  • Habilidade: motoristas mais experientes apresentam mais facilidade devido a seus conhecimentos e ações rápidas em situações de risco, mas ainda assim é necessário constantemente atualizar seus conhecimentos, pois isso ajuda a a fazer escolhas mais seguras no dia a dia.

Por fim, também é muito importante também manter um estilo de vida saudável, com alimentação balanceada e prática regular de atividade física, pois isso ajuda a manter uma boa saúde em geral e reduzir o risco de acidentes.

Contusão pulmonar tem cura? 

Sim, a contusão pulmonar pode ter cura, mas as chances de sucesso e o tempo de recuperação variam dependendo da gravidade da lesão. 

Em casos leves, a recuperação pode ocorrer em algumas semanas, enquanto em casos mais graves, pode ser necessário um tempo de recuperação mais longo, com acompanhamento médico e fisioterapia para ajudar a melhorar a função pulmonar e respiratória. 

Em alguns casos, pode até ser necessário mais intervenções médicas, como intubação ou ventilação mecânica.

Conclusão 

A contusão pulmonar é uma lesão traumática que pode ter consequências graves se não for tratada adequadamente. Por isso, é fundamental que profissionais de saúde estejam bem informados sobre os sintomas, diagnóstico e tratamento dessa condição, pois dessa forma, podem garantir que seus pacientes receberão o melhor atendimento possível.

Nesse contexto, é essencial que os profissionais de saúde busquem uma formação sólida e atualizada em medicina. Uma opção de destaque para continuar investindo na formação médica é se tornar aluno(a) do Cetrus, que oferece cursos e treinamentos de alta qualidade para médicos e outros profissionais de saúde.

Os cursos abrangem diversas áreas da medicina, incluindo radiologia, ultrassonografia e tomografia, entre outras. Temos um compromisso firmado com a pesquisa e a inovação, garantindo que nossos alunos estejam sempre atualizados com as últimas tendências e avanços da medicina.

Leia também: Por que fazer uma especialização médica com o Cetrus?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *