Posted on

Dispositivo Intrauterino: Relembrando Conceitos Importantes

Os Dispositivos Intrauterinos, mais conhecidos como DIUs, são métodos contraceptivos extremamente eficazes e amplamente utilizados por mulheres de todo o mundo. São muitos os seus modelos e cada um deles apresenta características e peculiaridades que os diferem dos demais, seja do ponto de vista de mecanismo de ação ou do seu aspecto ultrassonográfico.

É muito comum que o médico que realiza o exame de ultrassom transvaginal se depare com pacientes em uso de DIU, e neste momento alguns questionamentos podem vir à mente: Como saber se o DIU está no lugar certo? Qual é o tipo de DIU que estou avaliando? E se a paciente estiver grávida, o que fazer?

Para esclarecer estas e algumas outras dúvidas sobre o assunto, o Dr. Orlando Gomes, coordenador do curso de Ultrassonografia Transvaginal do Cetrus – Recife, apresenta a seguir um resumo sobre aspectos essenciais na avaliação ultrassonográfica dos dispositivos intrauterinos.

Estamos certos de que este conteúdo é de grande valor para a sua prática diária. Aproveite!

Dr. Orlando Gomes

Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pelo IMIP; Especialista em Medicina Fetal pelo IMIP; Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela FEBRASGO; Pós-graduado em Medicina Fetal pela UNICAMP.
Confira curriculum completo

7 Replies to “Dispositivo Intrauterino: Relembrando Conceitos Importantes”

  1. Excelente aula. Como sempre, com explicações objetivas e práticas.
    Mais uma vez, parabéns e muito obrigado, professor Orlando.

    1. Professor Orlando parabéns. Adoro suas aulas… sempre muitoooo didático!!!
      Gostaria de sugerir um Webinar sobre US Transvaginal com Doppler e US 3D apenas em ginecologia … ou seja, apenas para patologias ginecológicas.

  2. Ótima aula.
    Restou uma dúvida: um DIU que tem seu ápice no fundo da cavidade uterina, hastes transversais abertas em direção aos cornos, mas sua borda inferior se encontra abaixo do orifício cervical interno devido ao tamanho do dispositivo (maior que a cavidade uterina). Paciente assintomática usuária do dispositivo há mais de 1 ano. Como considerar o posicionamento deste DIU?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *