O Blog de conteúdos médicos

Posted on

Protocolo Blue – Avaliação ultrassonográfica na Insuficiência Respiratória Aguda

A Dra Cibele Alvarenga, Coordenadora de cursos de Ultrassonografia do CETRUS, apresenta um material complementar referente à Ultrassom Pulmonar.

Neste conteúdo, você terá a oportunidade de identificar como efetuar diagnósticos diferenciais diante de pacientes com o quadro de Insuficiência Respiratória Aguda, utilizando o Protocolo Blue.
Aproveite!

Não esqueça de conferir as questões abaixo que reforçarão mais ainda o conhecimento adquirido:

Quer saber mais?

Preparamos um E-book exclusivo com o parecer completo do CETRUS sobre a Pandemia de COVID-19 no Brasil e no mundo!

Neste material você encontrará:
1. Ultrassonografia Pulmonar
2. Protocolo de exame e achados ultrassonográficos no Covid-19
3. Modelo de Laudo
4. Cuidados atuais para prevenção e disseminação de Covid-19 em serviços de ultrassonografia
5. Cuidados específicos para Médicos, Atendentes e com sala de exame

Veja tudo isso e muito mais!

Não deixe de aproveitá-lo!


Dr. Sebastião Zanforlim
Professor e Sócio-fundador do Cetrus

Dr. Augusto Teixeira
Médico Radiologista
Especialista em ultrassonografia diagnóstica e intervencionista

15 Replies to “Protocolo Blue – Avaliação ultrassonográfica na Insuficiência Respiratória Aguda”

  1. Que delícia de aula!!!! Estava com saudades!! Obrigada por dividir conosco seus conhecimentos, Ci!
    Obrigada a todos os professores do Cetrus pelo empenho nesse momento tão complicado .. Beijos a todos.

  2. Por favor, tenho uma dúvida sobre o protocolo Blue. A pesquisa de TVP é só na área do parênquima pulmonar? Ou se achar nos membros inferiores inclui. No pulmão, qual o local melhor de visualização?

    1. Pesquisa de tvp sempre muito rápida e incluindo se principalmente veias musculares da panturrilha q podem passar despercebidas. Na prática clínica tvp de mmss e jugulares são excepcionalissimas. Usar PRF alto persistência baixa .

    2. Olá Gislany, tudo bem?

      Primeiramente gostaria de agradecer por seu elogio com relação à aula. Fico muitooo feliz com isso, como também com sua interação com relação ao tema!
      É muito importante para nós essa comunicação, como também o esclarecimento de dúvidas que possam surgir durante as aulas!!! Fique sempre à vontade em perguntar! Estou aqui à disposição para responder quaisquer dúvidas!!

      Quanto à sua pergunta sobre a pesquisa de TVP, segue a resposta: a pesquisa de trombose venosa profunda deve ser feita principalmente em veias dos membros inferiores
      (veia femoral comum, profunda e superficial, veia poplítea, veias da panturrilha (gastrocnemias e soleares), veia tibial posterior, veia fibular e quando necessário veia tibial anterior), veias ilíacas e quando possível
      veia cava inferior. As veias de membros superiores e veias jugulares também devem ser pesquisadas, principalmente se esse paciente tiver presença de cateter, porem em uma ordem de frequência as veias de membros inferiores
      são as mais acometidas.

      A pesquisa de TVP deve ser feita com a manobra de compressão do transdutor, no corte transversal das veias.
      O colabamento total da veia se faz necessário, para se confirmar que não há trombos dentro do vaso pesquisado.

      No protocolo BLUE não fazemos a pesquisa direta de trombos (êmbolos) em veias pulmonares, uma vez que o ultra-som não consegue ter acesso a essas veias.
      Seria necessário um outro método de imagem para avaliar diretamente essas veias. O diagnóstico de embolia pulmonar pelo ultra-som , em um paciente com quadro de insuficiência respiratória aguda,
      se dá por achados indiretos como: trombos em veias que citei acima, associado a um PERFIL A ( presença de linhas A anteriores + lung slide presente).

      Um grande abraço!!
      Cibele

    1. Excelente ideia de repassar conhecimentos dessa área que desconhecida muitos de nós que trabalhamos com imagem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *