Posted on

Estudo avalia principais disfunções sexuais e suas abordagens na menopausa

Medicina 2019, 55(9), 559

Médico consultando estudo científico

A essência multifatorial da sexualidade humana já é fato conhecido, incluindo questões psicológicas, biológicas, relacionais e socioculturais, principalmente quando pensamos em mulheres. Embora haja uma tendência de inferir que após a menopausa haja uma perca de interesse pelo sexo, este âmbito continua sendo um elemento importante para muitas mulheres na terceira idade. Mas algumas barreiras as impedem de buscar ajuda para esses problemas. Frequentemente envolvem inadequação e falhas por parte dos profissionais de saúde, como falta de tempo, escassez de conhecimento específico, preocupações com a própria confiança e habilidades, abordagem algumas vezes ofensiva, desconforto pessoal e estereótipos sobre a falta de necessidades sexuais e comportamentos adequados à idade.

Resumo

A função sexual entra em declínio com o avanço do status da menopausa. Os sintomas mais frequentemente relatados incluem diminuição da libido (40–55%), lubrificação deficiente (25–30%) e dispareunia (12–45%), uma das complicações da síndrome geniturinária da menopausa. Os níveis decrescentes de esteroides sexuais (estrogênios e androgênios) desempenham um papel importante no comprometimento da resposta sexual, no entanto, mudanças psicológicas e relacionadas ao envelhecimento como aumento das comorbidades metabólicas e cardiovasculares, também devem ser levadas em consideração. Embora as estratégias terapêuticas de primeira linha para disfunção sexual relacionada à menopausa visem abordar fatores modificáveis, muitas opções de tratamento hormonal e não hormonal, local e sistêmico, estão disponíveis no mercado atual. O tratamento deve ser individualizado, levando em consideração a gravidade dos sintomas, potenciais efeitos adversos e preferências pessoais.

Palavras-chave: disfunção sexual feminina; síndrome geniturinária da menopausa; distúrbio do desejo sexual hipoativo; atrofia vulvo-vaginal; dispareunia; terapia hormonal

Confira a íntegra:

6 Replies to “Sexualidade na menopausa”

  1. Eu gostaria de saber quando a mulher tá menor pausa ela sente atração por outro homem
    Eu estou com ela a 10 anos não sou casado mais agente namora

  2. Estou encantada com o conteúdo pois estou passando por tudo isso como tive quatro AVC o médico não aconselha reposição hormonal, gostaria muito de uma ajuda

  3. Tenho 42 anos e sou casada a 18 anos …esse dias nao to tendo vontade de fazer sexo com o meu marido …quando ele mi toca mi acaricia mi sinto muito incomodada ..sem um pingo de vontade ….o q sera q ta acontecendo

    1. Sou casado com uma mulher maravilhosa está com 56 anos e somos casados a 35 anos tenho muito desejo sexual nela mas de uns 6 meses para cá sinto que ela está dendo relação sem vontade e não sente falta se eu não a procuro está na menopausa o que posso fazer sinto muita falta de sexu e não tenho vontade de trair só que me masturbo com frequência o que posso fazer obrigado

  4. Muito bom o artigo, esse tema é pouco abordado pelos profissionais e muitas vezes as pacientes também têm vergonha de aborda-lo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *